Cueio Limão - A Fabulosa Jornada De Stuart Rigby

Andar com as próprias pernas pelos caminhos que nunca
andou.
Querer mudar, arriscar, acertar sem saber no que vai
dar
Fazer histórias em outro lugar

Com saudades de casa e dos amigos que deixou pra trás
Melhor esquecer e correr, resolver, ter que matar pra
não morrer.
Cair na estrada e não se arrepender.

E então viajou, gastou o seu dinheiro em porcarias.
Ficou sozinho quando as noites eram frias
Olhar pro lado e só tem seu violão

Buscou um sonho, se atirou sem ter medo do futuro
E aprendeu como se deve andar no escuro
Era feliz sem precisar bater cartão.

2 comentários:

Cazuh disse...

historia propria em terceira pessoa?

cuidado com as crises de identidades =D

felicidades!!!

Anônimo disse...

bacana filha!
vc ja é uma poeta
de onde vem tanta inspiração???