Prólogo R.J. Ellory

"Encha o peito de ar. Prenda. Solte. Tudo tem de estar em silêncio, pois quando eles vierem, quando finalmente vierem me buscar, precisaremos estar bem quietos para ouvi-los.

Estou em silêncio. Sinto a quentura do meu sangue nas mãos, e quero saber por quanto tempo continuarei respirando. (...)

Aproveito um instante para recordar toda a minha vida, e tento vê-la pelo que foi. Em meio à loucura que encontrei, à correria e ao choque, e à brutalidade das colisões da humanidade que presenciei, houve momentos. AMOR. Paixão. Promessa. A esperança de algo melhor. Isso tudo.
(...)

Essa foi a minha vida.
Uma vida desenrolada como um fio, de resistência incerta, comprimento desconhecido; quer termine de chofre*, quer corra indefinidamente, ligando mais vidas no seu curso; num caso, não mais que algodão, apenas suficiente para unir uma camisa nas costuras; no outro, uma corda - de três fios, nós de cabeça de turco, todos os fios e todas as fibras alcatroados e torcidos para repelir água, suor e lágrimas...

Uma vida para segurar, ou para ver escorrer pela palma das mãos indiferentes e desatentas, mas sempre uma vida.
(...)

O tempo corre reto como uma linha de pesca auspiciosa, as semanas formando meses, formando anos; mas, com esse tempo todo, um instante de dúvida, e lá se vai o prêmio.

Momentos especiais - esporádicos, como nós apertados, espaçados irregularmente como corvos num fio de telégrafo -, esses lembramos e não nos atrevemos a esquecê-los, pois muitas vezes são tudo o que resta para mostrar.
Recordo todos eles, e muitos outros mais, e em algumas ocasiões me pergunto se a imaginação não influiu no desenho da minha vida.

Pois é isso que foi e sempre será: uma vida.

Sou um exilado."


*Chofre: Choque repentino.

Prólogo do livro: Uma Crença Silenciosa em Anjos
Autor: R. J. Ellory

2 comentários:

Raiana Reis disse...

Olá, esse foi um ano com gostinho de início e venho através das nossas rotas virtuais cruzadas agradecer sua visita, desejando mais encontros entre as leituras e trocas de pensamentos. Esses momentos por vezes nos colorem os dias e inspiram direções.
Que a renovação seja por dentro maior que no calendário.
Beijos desde a lua.
Raiana Reis
Rayos de Luna
Tocou

francis disse...

*___________* ti linda adorei serio esmaga * nhooo